Virou caso de polícia! Denúncia de fraude nas eleições do CREA-SP

05/10/2020 - 16:32

Testemunha flagra manipulação das urnas na apuração das eleições do CREA-SP.

Grupo político que domina o CREA-SP e se perpetua no comando da organização há anos, mais uma vez, frauda as eleições. As suspeitas dos engenheiros em relação à legitimidade dos processos eleitorais se confirmaram.

Na sexta-feira, um vigilante a serviço de uma empresa contratada para fazer a segurança dos malotes contendo as urnas do pleito realizado no dia anterior, flagrou uma funcionária do CREA-SP junto com dois homens danificando os lacres dos malotes, antes de depositá-los em um carro do CREA, na garagem da sede Faria Lima.

Percebendo que havia algo errado, o segurança abordou os dois homens e pediu que se identificassem. Eles se negaram e logo a funcionária do CREA, que, segundo a testemunha, teria uma posição de coordenação, reclamou da abordagem do vigilante para um quarto homem, pertencente ao mesmo grupo. Esse homem, de modo muito agressivo, ordenou que o profissional deixasse o local e fez uma ligação para se queixar da postura do segurança ao seu supervisor.

Na mesma sexta-feira, o candidato de oposição à presidência do CREA-SP, José Manoel Ferreira Gonçalves, ciente das práticas fraudulentas que tem ocorrido em todas as eleições, foi até a sede Faria Lima do CREA-SP para fiscalizar a apuração dos votos, exercendo um direito seu.

No entanto, foi recebido com resistência pelos membros da Comissão Eleitoral, sendo coibido de deixar a sala para ir até a sub-loja, onde estavam as urnas. Assim, permaneceu por cinco horas no mesmo espaço, sob a ameaça de não poder mais adentrar as instalações, caso saísse.

Indignado com o que testemunhou, o vigilante gravou áudios com seu depoimento e fez questão de acompanhar José Manoel até a delegacia para fazer um Boletim de Ocorrência.

Em um dos áudios o homem diz: “Posso até estar correndo risco de vida falando isso para vocês. Provavelmente vou ser mandado embora. Mas a gente trabalha pelo que é certo. Eu estou falando o que eu vi, ficaram mais de meia hora com aquela viatura e com os malotes”. 

O que se sabe é que foi montada uma operação para dar a vitória a um candidato escolhido por eles como plano B, uma vez que Vinícius Marchese foi retirado do pleito por ordem do Supremo Tribunal Federal (STF).


O homem que devem anunciar como vencedor do pleito é um engenheiro desconhecido, chamado William Henrique Vieira Gonçalves, que sequer entregou informações e foto para concorrer à presidência do órgão. Estranhamente, também não há rastro dele nas redes sociais.

Acostumados a manipular o processo eleitoral, a direção do CREA-SP dessa vez não terá vida fácil, pois José Manoel não desistirá de buscar pela justiça. Além do BO, ele fará denúncia na Polícia Federal, visto que o CREA-SP é uma autarquia federal e utilizará essas denúncias para fortalecer o processo contra a fraude em curso.

Compartilhe

Você precisa estar cadastrado para enviar comentários.
Clique aqui e cadastre-se.