Odebrecht avança em reestruturação em meio a disputa com Caixa

Os credores da Odebrecht SA estão divididos sobre como reestruturar US$ 25 bilhões das dívidas do conglomerado, prejudicando as chances de um acordo preliminar encerrar o maior caso de recuperação judicial da América Latina.

De um lado estão cinco bancos locais que têm garantias nos empréstimos à Odebrecht. Eles estão em discussões avançadas com a empresa sobre um plano de reestruturação, de acordo com pessoas familiarizadas com o assunto. Do outro lado, está a Caixa Econômica Federal, o banco estatal que não tem garantias, não está participando de negociações com a Odebrecht e foi à Justiça pedir que a Odebrecht fosse liquidada.

Também estão fora das negociações os fundos de private equity dos EUA Castlelake LP e Lone Star Funds, credores da unidade de açúcar e etanol da Odebrecht, Atvos, que tem um processo separado de recuperação judicial em andamento.

A Odebrecht não precisa da Caixa, Castlelake ou Lone Star para aprovar uma reestruturação na assembleia de credores, disse uma das pessoas.