A estratégia da alma de quem sabe observar

A estratégia da alma de quem sabe observar

Toda vez que leio qualquer livro sobre negócios, inteligência emocional ou estratégias de marketing, chego a conclusão de que em nosso cotidiano abrimos mão de observar novas oportunidades para nos utilizarmos da visão de quem já identificou e aplicou soluções em suas oservações do passado. Ainda não entendeu? Vamos a esta leitura, pois vou detalhar como alcançar as novas oportunidades apenas por observar novas necessidades populacionais. 

Antes de iniciar o artigo em si, gostaria de contribuir com vocês ainda mais deixando aqui o meu Instagram, onde eu constantemente posto conteúdos exclusivos sobre empreendedorismo, estratégias de marketing funcional, dicas de leitura e muito mais. Basta clicar aqui

Sobre Observar

Muito se fala sobre "dor do público" e parece que a frase virou moda, porém nem sempre é a dor que precisa ser aliviada, mas a satisfação precisa ser aumentada em uma dose significativa para gerar vícios comerciais. Lembrando que o ser humano, em sua natureza, tende a querer sempre mais do que lhe faz bem ou acha que lhe faz bem, ou seja, ele não precisa estar sofrendo com nada. Basta que você entenda como fazê-lo "estar por cima da carne seca".

Já vi pessoas ostentando coisas desde carros caríssimos até carros achados em algum ferro velho que voltaram a funcionar. Nunca mais me esqueço quando em uma rede social, uma das pessoas festejava enquanto colocou um carro enferrujado para andar, dizendo que encheria ele de "mulher". Isto é ruim? CLARO QUE NÃO! É ótimo, até mesmo por sua gratidão, depois, pensando através do nosso assunto, a dor dele já foi solucionada, que era andar a pé, mas OBSERVANDO sua eutoria, o que me impede de lhe oferecer um belo conjunto de rodas que vai deixar as "mulheres", que ele tanto quer pra encher seu carro, ainda mais impressionadas?

Um ótimo exemplo também são nossos smartphones. Observamos que ninguém, absolutamente NINGUÉM tem uma dor tão forte a ponto de um iPhone 12 Pro Max ser útil como uma medicação, mas vemos que estas coisas mexem diretamente com o sentimento de superioridade somente por ter um aparelho que tem muitas funcionalidades identicas a outros mais em conta. E o que diferencia? Claro, tecnologias inovadoras, mais velocidade, mais isso, mais aquilo, contanto que você compre e tire fotos com mais qualidade no espelho pra valorizar ainda mais a marca. 

O que observo então? 

Que o meu produto ou serviço as vezes necessita de apenas dois itens para ser diferente e cobiçado pelos consumidores:

Inovação na estratégia e não no produto

Como dito antes, quando se fala de inovar, pensa-se em solucionar problemas, está correto, mas vamos focar em diferenciais simples como a escassez de informação.

As pessoas não tem tempo e nem paciência de ficarem lendo sobre dados técnicos de aparelhos e muito menos sobre como o serviço "x" pode mudar suas vidas para melhor, mas elas tem tempo e paciência para ver Stories de famosos que falam de futilidades, sendo uma dessas futilidades o seu produto ou serviço, que pode até ter uma qualidade abaixo de grandes concorrentes, mas nas mãos de quem mostra certo RESULTADO, vai vender muito e ser melhorado cada vez mais. E com isto, senta que lá vem história.

Podemos ver um monte de gente postando seus Stories do Instagram sobre suas vidas e suas ostentações. Temos uma conhecida que mostrou um resultado incrível comprando sua casa própria e, consequentemente, precisando mobiliar sua casa, ela entrou em contato com uma loja de móveis trocando produtos por sua publicidade. Mas havia um diferencial aí. O acordo consistiu na geração de resultados antecipados para que ela pudesse resgatar seus "recebidos". Resumindo: deu certo! 

Observamos uma estratégia simples, mas OBSERVANDO, vemos uma loja de qualidade secundária mostrando resultados através de uma pessoa que gera influência sobre as pessoas. Houve algum tipo de inovação em algum produto? Claramente NÃO, mas para os seguidores desta pessoa, há um diferencial enorme apenas pelo fato da escolha da loja em questão, ou seja, a influenciadora mostrou para os seguidores o que talvez o concorrente com mais qualidade desta loja não o tenha feito, ocultando informações importantes que poderiam fazer o consumidor mudar de ideia.

E onde estavam as informações da loja com mais qualidade? Nos seus panfletos, no seu site, em textos que a maioria das pessoas não tem tempo e nem paciência de lerem.

Ostentação de Resultados

Observe que PESSOAS seguem PESSOAS e não EMPRESAS.

O que seria da Nike sem os resultados que seus patrocinados mostram? O que seria da Coca-Cola sem que mostrasse os resultados de uma família linda em volta de uma mesa ou suas aparições em filmes com artistas se refrescando com gosto ao virar uma garrafinha de vidro (a melhor) na boca?

No livro Empresas Feitas Para Vencer, de Jim Collins (cheguei até ele vendo um vídeo no youtube onde uma pessoa com resultados excelentes o indicou), estudos mostram como empresas boas se tornaram empresas excelentes e praticamente todas as empresas de excelência chegaram a este patamar investindo exclusivamente em resultados apresentados pelo seu público, muitas vezes com serviços semelhantes a de concorrentes diretos com maior qualidade. A excelência está no que eles geram para a população e não somente nos processos internos. 

Uma dica valiosa: 

Não importa se você está apenas começando. Observe e dê às pessoas, de forma estratégica, as informações importantes escondidas pelos seus concorrentes diretos e seus resultados poderão ser maiores que os deles. 

Um grande abraço e até a próxima!

Você precisa estar cadastrado para enviar comentários.
Clique aqui e cadastre-se.